Microsoft e Qlik acertam reduções de até 22% nos preços com o governo

Microsoft e Qlik acertam reduções de até 22% nos preços com o governo

O governo federal fechou novos acordos para limitar preços cobrados em licitações de produtos de Tecnologia da Informação e Comunicação. A Microsoft, que em 2019 não topou negociar e teve cortes de 35% na tabela base para licitações, desta vez acertou uma redução de 22,71% em 2 mil produtos vendidos a órgãos públicos. Como esse, o Diário Oficial da União desta quinta, 2/7, também traz o extrato do acordo com a QlikTech. Nesse caso, a redução foi de 10,87%.

As negociações para preços com grandes fornecedores de TI vem sendo tocada pela Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia desde o ano passado. Com base nesses acordos, a SGD publica catálogos de produtos de TI com preços máximos para licitações, sobre os quais incidem as reduções.

“Esse acordo é fruto do compromisso da Microsoft de pavimentar caminhos que auxiliem na transformação digital do governo, possibilitando a contratação de produtos e serviços de tecnologia que são peça-chave para a inovação, ganho de eficiência e agilidade, e para a entrega de melhores serviços ao cidadão”, afirma a empresa da Microsoft Brasil, Tânia Cosentino.

Quando não há acordo, a secretaria fixa um percentual de forma unilateral. Neste novo ciclo de negociações, foi o que aconteceu com Adobe e Broadcom. Para a primeira, o catálogo de 11 produtos e serviços mais contratados no governo traz desconto médio de 22,49% em relação às vendas realizadas nos últimos três anos. No caso da Broadcom, a lista tem 11 produtos e serviços da Symantec e a redução foi de 21,67%.

Os catálogos com limite de preços para produtos adquiridos da Microsoft e Qlik já estão publicados no portal do Governo Digital – em www.gov.br/governodigital/pt-br/contratacoes/catalogo-de-solucoes-de-tic. Nas contas da SGD, os acordos anunciados trarão economia de pelo menos R$ 112 milhões em 2020.

 

Você pode se interessar…

Traduzir »